Buscar
  • barretoraphaela

A guerra entre a antiga e a nova geração

Atualizado: 17 de ago. de 2021

Com certeza você já escutou "ah, mas na minha época não era assim", "porque essa geração é muito nutella" e por aí vai. Eu, sinceramente, queria entender qual a briga que as gerações anteriores compraram com os milenials e a geração Z.


Os nascidos entre 1995 e 2005 mexem muito no celular? Não cumprimentam as pessoas na rua? Não conversam por ligação? Tem gostos e atitudes diferentes? E que graça teria se todos se comportassem exatamente iguais? Estaríamos na inquisição na Idade Média ainda?


As gerações anteriores também tinham seus contras. Pessoas que não podiam expressar seus sentimentos, suas vontades, suas liberdades e escolhas. Era tudo muito preto no branco e branco no preto, sem contar que, preto, não era exatamente bem visto.


O fato é que é fácil julgar. É fácil olhar para um jovem de quinze anos que está com a cara enfiada no celular e dizer que ele só saber fazer isso, sem conversar de verdade com as pessoas, no diálogo, olho no olho. Entretanto, se voltamos dez anos no tempo, podemos encontrar uma criança em busca de carinho, afeto e brincadeiras com os pais, que cansados demais de suas rotinas, deram um celular para ela brincar enquanto estavam enfurnados em seus próprios.


Quando ouço que vinte anos atrás as coisas eram diferentes e boas, só consigo pensar no modelo convencional de família brasileira onde o homem trabalhava e a mulher não tinha sua vez. Quando voltamos mais vinte anos no tempo, lembro que a educação era a base do cinto, chinelo e cipó.


Então, realmente, qual geração é melhor que a outra?


Ouso dizer que a resposta é nenhuma. Porque cada uma teve seu tempo, aconteceram como tinham que acontecer, com seus prós e contras.


Enquanto cinquenta anos atrás as pessoas passavam horas conversando uma com as outras, hoje há pouco diálogo e muitas mensagens pelo celular. Em contrapartida, você pode escolher seu estilo, orientação sexual e dizer que está tudo bem se não quiser ter filhos, já na época dos seus avós, era papai provedor, mamãe dona de casa, muitos filhinhos e o sofrimento de não poder ser diferente e sair fora da caixinha.


Cada era tem seu jeito e desafios. E isso não quer dizer que é bom ou ruim. Até porque, bom e ruim é uma questão de perspectiva. Vinte anos atrás era bom para quem? Para você? Para os homens? Para as mulheres? Para os brancos? Para os pretos? E a gora, é bom para você? Para as crianças? Para os jovens? Idosos?


Precisamos parar de reclamar e aceitar a vida como ela é. Os tempos mudam, quer queiramos isso ou não (e graças a Deus que eles mudam!). O fato é, enquanto você estiver comparando a sua geração com a nova, estará esquecendo de viver sua própria vida.


A geração nova, é a nova, e a sua juventude não foi e nem será igual aos dias atuais, e o medo de envelhecer ou vontade de fazer parte de algo que não te pertence mais pode assustar, mas reclamar e comparar décadas vão te afastar mais ainda da felicidade.


Provavelmente seus pais reclamaram também da sua geração. E seus avós da geração dos seus pais. E seus antepassados antes disso também. Então, só viva, no hoje, e hoje, atualmente, é assim.


Raphaela Barreto

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo